Enquanto a Grande Mídia tenta nos vender Alckmin ou mesmo Marina, Roraima nos mostra por que o país quer Bolsonaro.

Enquanto a Grande Mídia tenta nos vender Alckmin ou mesmo Marina, Roraima nos mostra por que o país quer Bolsonaro.

Imagine seu bairro ou mesmo sua cidade invadidos por uma enorme quantidade de pessoas, que montam acampamentos nas praças e nas calçadas, que fazem suas necessidades em locais públicos e que se não lhe pedem algo diretamente o fazem indiretamente para as organizações governamentais que são sustentadas pelos seus impostos.

Agora imagine que mesmo algumas poucas dessas pessoas se organizem em gangues e comecem a ameaçar os habitantes locais.

A mistura de venezuelanos com brasileiros no estado de Roraima guardava consigo um enorme potencial explosivo que agora começa a detonar.

Mas o governo brasileiro, que acredita que quilombolas e índios possam viver em áreas isoladas sem se integrarem completamente à sociedade, devido ao seu esquerdismo não quis isolar os venezuelanos em campos de refugiados – para que houvesse ao menos uma triagem daqueles que o Brasil aceitaria ou não serem integrados ao nosso país.

A Grande Mídia também não quis dar o devido espaço ao problema dos refugiados venezuelanos, que candidatos como Ciro Gomes acreditam serem advindos mais de um boicote econômico dos EUA ao nosso vizinho do que dos desastres promovidos pelos governos de Chávez e Maduro.

E a solução propagandeada pelo establishment comunista brasileiro [mídia e governo] sempre foi a de que devíamos receber os venezuelanos de braços abertos como se estes fossem vítimas de uma catástrofe natural.

Contudo a população brasileira apesar de seu sentimento humanitário para com os venezuelanos vê que há muitos erros sendo cometidos nessa acolhida aos refugiados. E a sensação que fica é que a maior preocupação do governo Temer é aliviar a barra de Maduro e seus apoiadores bolivarianos evitando que uma intervenção militar dos EUA se torne necessária.

O brasileiro também sabe que o establishment brasileiro desde FHC, que ajudou Hugo Chávez a retornar ao poder depois deste ter sofrido um golpe de estado, passando por Lula, Dilma e chegando a Temer sempre foi se não associado ao regime bolivariano pelo menos conivente com ele.

E dos candidatos presidenciais que estão por aí Bolsonaro é o unico que expressa uma preocupação maior com os brasileiros do que com os venezuelanos e mesmo propôs colocá-los em campos de refugiados.

A maioria dos brasileiros pensa igual a Bolsonaro e acompanha atentamente o que está acontecendo em Roraima. Mas a imprensa, que vive numa bolha, preferiu ridicularizar a solução proposta por Bolsonaro falando que ele queria colocar os refugiados em campos de concentração. Os resultados agora estão aí para todos verem e os eleitores brasileiros sabem que Bolsonaro tinha cantado a pedra.

 

While the Mainstream Media tries to sell us Alckmin or even Marina, Roraima shows us why the country wants Bolsonaro.
 
Imagine your neighborhood or even your city invaded by a huge number of people, who set up camps in the squares and on the sidewalks, who do their needs in public places and who if do not ask you for anything directly do so indirectly through governmental organizations that are supported by your taxes.
 
Now imagine that even a few of these people organize into gangs and start threatening the locals.
 
The mix of Venezuelans with Brazilians in the state of Roraima carried with it an enormous explosive potential that is now beginning to detonate.
 
But the Brazilian government, which believes that quilombolas and Indians can live in isolated areas without fully integrating themselves into society, because of its leftism did not want to isolate Venezuelans in refugee camps – so that there would be at least a screening of those that Brazil would accept or not be integrated into our country.
 
The Mainstream Media also did not want to give adequate coverage to the problem of Venezuelan refugees, who candidates like Ciro Gomes believe to be more a result from a US economic boycott of our neighbor than from the disasters promoted by Chavez and Maduro governments.
 
And the solution propagated by the Brazilian communist establishment [media and government] has always been that we should welcome Venezuelans with open arms as if they were the victims of a natural catastrophe.
 
However the Brazilian population despite its humanitarian sentiment towards the Venezuelans sees that there are many mistakes being made in this reception to the refugees. And the feeling is that the Temer government’s main concern is to ease for Maduro and his Bolivarian supporters by preventing US military intervention from becoming necessary.
 
The Brazilian also knows that the Brazilian establishment since FHC, which helped Hugo Chávez to return to power after he suffered a coup, through Lula, Dilma and reaching Temer was always associated with the Bolivarian regime at least conniving with him .
 
And of the presidential candidates that are out there, Bolsonaro is the only one that expresses a greater concern with the Brazilians than with the Venezuelans and even proposes to place them in refugee camps.
 
Most Brazilians think the same as Bolsonaro and closely follow what is happening in Roraima. But the press, which lives in a bubble, preferred to ridicule the solution proposed by Bolsonaro saying that he wanted to place the refugees in concentration camps. The results are now there for all to see and the Brazilian voters know that Bolsonaro had told so.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *