A velha divisão ideológica entre Direita, Esquerda e “Centro” parece…

 

A velha divisão ideológica entre Direita, Esquerda e “Centro” parece não ser mais condizente com a nova geopolítica global. Hoje brigam pela hegemonia mundial 4 grupos:
1) Cristão Nacionalista – EUA, Polônia, Hungria,…. e aliados como Japão, Coréia do Sul, Filipinas,….
2) Eurasiano – China, Rússia,Coréia do Norte,… e aliados e colônias como Venezuela, Cuba, Angola, Brasil,….
3) Globalista – Alemanha, França, Itália, Canadá,… e o suporte de grades empresas globalizadas como Google, Facebook, grandes bancos internacionais,…
4) Islâmico – Países islâmicos sunitas como Arábia Saudita, Egito, Turquia, Catar,… e países islâmicos xiitas como Irã, Iraque,…. que brigam pela hegemonia sobre o mundo islâmico.

Stealing the Conservative Speech.

 

Stealing the Conservative Speech.

Dubbed by the Left as a master of the conspiracy theory Brazilian philosopher Olavo de Carvalho has been telling that certain movements stole the leadership of the popular revolt against Dilma Rousseff’s government and delivered it back to the politicians.

And now it seems the history repeats itself and those movements are trying to steal again the people’s revolt, against a speeding up of the leftist gender agenda, from truly conservative hands.

It looks like the plan is to take out from Jair Bolsonaro, the only conservative in the 2018 presidential race to stand a chance the conservative exclusivity on talking about social issues.

By seizing the social conservative speech to them too, Bolsonaro won’t be anymore seen as the only one left to defend social right-wing views, opening a flank to the movements themselves delegitimize him as the best conservative option.

 

Roubando o Discurso Conservador

Apelidado pela esquerda como um mestre da teoria da conspiração o filósofo brasileiro Olavo de Carvalho tem estado dizendo que certos movimentos roubaram a liderança da revolta popular contra o governo de Dilma Rousseff e entregou isto de volta para os políticos.

E agora parece que a história se repete e aqueles movimentos estão tentando furtar novamente a revolta do povo, contra uma aceleração da agenda de gênero esquerdista, de mãos verdadeiramente conservadoras.

Parece que o plano é para tirar de Jair Bolsonaro, o único conservador na corrida presidencial de 2018 a ter uma chance, a exclusividade conservadora em falar sobre assuntos sociais.

Por tomar o discurso social conservador para eles também, Bolsonaro não irá ser mais visto como o único que restou para defender visões sociais de direita, abrindo um flanco para os próprios movimentos deslegitimizá-lo como a melhor opção conservadora.