FHC thinks a professor cannot be bizarre.

 

ÉPOCA – in February, Jair Bolsonaro surpassed Aécio Neves and loses only for Lula in the voting intention polls to 2018. He is a viable candidate?

FHC – the person who appears most at these times is the bizarre. Trump is a little bizarre. When I won the elections against Lula, was a disappointment. I winning had nothing extraordinary, I am a university professor. Lula was new, an unprecedented fact. It is natural that people want that. A certain bizarreness stands out. I do not believe that Bolsonaro has greater national expression.

 

http://epoca.globo.com/politica/noticia/2017/03/fernando-henrique-cardoso-se-o-psdb-pego-tem-de-dizer-eu-errei.html

 

ÉPOCA – Em fevereiro, Jair Bolsonaro passou Aécio Neves e perde apenas de Lula nas pesquisas de intenção de voto para 2018. É um candidato viável?

FHC – A pessoa que mais aparece nessas horas é o bizarro. O Trump é um pouco bizarro. Quando eu ganhei as eleições contra o Lula, foi uma decepção. Eu ganhar não tinha nada de extraordinário, sou um professor universitário. O Lula era novo, um fato inédito. É natural que as pessoas queiram isso. Uma certa bizarrice projeta. Não creio que Bolsonaro tenha expressão nacional maior.

2 Comments

  1. Se não fosse Itamar Franco FHC jamais teria sido presidente. FHC achava imprudente que Itamar lançasse o Plano Real nas véspera das eleições e acabou eleito graças a “imprudência” de Itamar.

  2. “Não creio que Bolsonaro tenha expressão nacional maior.”
    Ao falar isso FHC quer pautar a imprensa, mas nem precisaria. A imprensa liberal costuma conversar somente consigo mesma e com isso ela acaba convencida que todos pensam igual a ela. Um exemplo é a turminha do Manhattan Connection.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *